SaaS: velocidade de implementação

Fora do Brasil, SaaS (do inglês, Software As a Service) tem ganhado força principalmente entre as PMEs e uma das principais causas é a velocidade da implementação. Essas empresas possuem limitação em recursos e não podem se dar ao luxo de adotar o mesmo tipo de soluções tecnológicas que suas concorrentes maiores.

E, na prática, como funciona SaaS? Com SaaS o cliente não compra a aplicação, ele paga por um serviço. Ele também não customiza e não instala a aplicação em sua empresa. Como não há instalação, também não há necessidade de aquisição de infraestrutura (software, rede, máquinas, etc) para executar a aplicação. O responsável por isso é o fornecedor. Também não há necessidade de despesas com programadores, analistas de sistemas, administradores de banco de dados e de rede que realizam tarefas como capacity planning, instalação e monitoramento de servidores. Os servidores precisam de alimentação de energia, segurança, rede, sistema operacional, banco de dados e backup. Mais uma vez a responsabilidade é do fornecedor. A configuração do serviço ocorre sempre pelo navegador podendo ser feita em poucas horas ou dias, ao invés de em semanas ou meses. Também não existe custo de atualização ou de “upgrade” da aplicação. Esse custo é diluído pelos clientes que usufruem dos benefícios e das melhorias da mesma maneira que o proprietário de um apartamento usufrui dos benefícios de seu condomínio.

Torna-se óbvio que, com toda essa estrutura já instalada remotamente, o tempo de implantação é reduzido drasticamente. Com isso, a empresa pode focar no seu negócio e reduzir seus esforços usufruindo rapidamente dos benefícios do projeto.

No próximo post falarei sobre o principal fator de adoção de SaaS entre PMEs: o preço. Uma pesquisa recente com 1200 executivos de pequenos negócios mostrou que pelo menos 80% deles considerariam adoção de SaaS pelo baixo TCO (Total Cost of Ownership)*.

Você já procurou por uma solução nesse modelo no mercado brasileiro e não encontrou? Pode ser que ela exista ou que nós possamos desenvolvê-la através de uma parceria!!! Entre em contato. Não tenho dúvidas de que, com os avanços atuais da Internet, agora há um grande campo de possibilidades e produtos que podem ser desenvolvidos no modelo SaaS.

* Total Cost of Ownership – custo total de propriedade ou, no caso, custo total por se possuir um aplicativo de software. Envolve custos com: hardware, software, treinamento, manutenção, atualização, etc.

Anúncios
Esse post foi publicado em Conceitos, CRM, ERP, Gestão, SaaS e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s